sexta-feira, 20 de maio de 2011

25 razões para amar Lisboa


1| NÃO É PRETENSIOSA
Lisboa não parece interessada em assimilar-se a outras cidades, o que a torna uma lufada de ar fresco num mundo globalizado. É uma cidade que não abdica dos seus simples prazeres, não deixando no entanto de absorver o que há de novo na aldeia global.


2| TOLERÂNCIA E LIBERDADE
Um mural junto ao Rossio lembra que Lisboa é “a cidade da tolerância.” Isso desde o tempo em que era dos poucos locais no planeta onde as três principais religiões coabitavam pacificamente (cristãos, judeus e muçulmanos) — pelo menos até à Inquisição. Portugal foi também o primeiro país a abolir a escravidão nas suas colónias, e é agora uma nação onde a liberdade de expressão é valorizada, e onde a liberdade de religião é natural e um assunto de pouca relevância. Em campanhas eleitorais, por exemplo, a religião dos candidatos é geralmente desconhecida e nem sequer discutida, ao contrário do que acontece em muitos outros países.


3| É UMA GRANDE GALERIA DE ARTE
As ruas de Lisboa estão quase todas adornadas com obras artísticas (umas maiores que outras) como painéis de azulejos, graffiti, detalhes Art Nouveau, e os típicos desenhos nas calçadas. Para onde quer que olhe, encontra sempre uma pequena obra de arte em Lisboa.


4| A MELHOR PASTELARIA DO MUNDO
Os cafés de Paris e de Viena têm a fama mas os de Lisboa têm o sabor. É aqui que dizem estar o melhor bolo de chocolate do mundo, e os pastéis de nata são já mundialmente famosos e imitados (o The Guardian diz que é uma das 50 melhores confecções do mundo).




5| OS MUSEUS SÃO TESOUROS POR DESCOBRIR
Não tem um Louvre, um Prado ou um Tate. Mas os museus ainda pouco conhecidos de Lisboa são por isso agradáveis surpresas: A coleção de nível mundial de Calouste Gulbenkian, o magnífico e único Museu do Azulejo, os fantásticos coches do Museu dos Coches, a arte que surgiu quando o Ocidente encontrou o Oriente e que pode ser admirada no Museu de Arte Antiga ou no Museu do Oriente, à criatividade contemporânea na Coleção Berardo…


6| O TEJO
Este não é um rio qualquer. É um rio que muitos confundem com o mar, que reflete uma luz ofuscante nos edifícios coloridos da cidade. É também um local histórico, pois foi a partir das suas margens que as caravelas traçaram o mapa do mundo, iniciando assim o que hoje se chama de globalização.


7| É BOÉMIA E TRENDY
Lisboa mantém o seu próprio estilo pouco convencional mas segue também as últimas tendências mundiais. Muitos bairros como o Bairro Alto têm uma aparência adormecida durante o dia, mas à noite são palco de uma animada mistura de diversas tribos, desde artistas emergentes aos mais fúteis adolescentes em convívio e ambiente festivo até de madrugada.
Essa diversidade tem gerado uma notável explosão artística na cidade, vista na abertura de novas galerias, espaços culturais, e até no projeto internacional que é o Museu do Design e Moda.


8| DIVERSIDADE ARQUITETÓNICA
Esqueça a uniformidade (monotonia) das grandes avenidas europeias. Em Lisboa não existem dois edifícios idênticos, sendo as ruas preenchidas por várias cores, painéis de azulejos, contornos em ferro forjado, e dois estilos arquitetónicos originais — o pombalino e o manuelino.


9| É UMA DAS CAPITAIS MAIS SEGURAS DO MUNDO
O European Safety Observatory diz que Lisboa é a capital mais segura da Europa. Deve-se ter atenção aos carteiristas nos eléctricos, mas o crime violento (homicídio e violações) é raro, para não dizer quase inexistente no dia-a-dia e nas grandes preocupações da cidade.


10| É INTEMPORAL
Eléctricos antigos, cafés da Belle Epoque, lojas antiquadas ou que vendem produtos retro, azulejos do século XVIII, aldeias medievais dentro da cidade: o passado convive com o presente em Lisboa. Lisboa é vintage.




11| É PERSEGUIDA PELO ESPÍRITO DE POETAS
Tal como outras grandes cidades históricas, Lisboa tem inspirado artistas e poetas, e hoje parece ainda perseguida por escritores como Fernando Pessoa, Eça de Queiroz ou o Nobel José Saramago. As suas presenças são sobretudo sentidas e lembradas nas ruas do Chiado, como que se os seus passos ainda se ouvissem em cafés como A Brasileira ou em livrarias como a Bertrand, a mais antiga do mundo.


12| AINDA NÃO VENDEU A SUA ALMA
Os bairros do centro histórico podem estar degradados e desesperadamente à espera de recuperação, mas há algo de consolador em ter bairros históricos que ainda não foram transformados em pequenos parques de diversões para turistas. Se Alfama ou o Bairro Alto estivessem noutras capitais europeias já se teriam tornado genéricos e vendido a alma ao turismo. No entanto em Lisboa, resistem como bairros autênticos.


13| OS AMBIENTES DIVERSOS
É uma paragem no tempo em Alfama, é futurista no Parque das Nações, romântica no Chiado, imperial em Belém, boémia no Bairro Alto, cosmopolita na Avenida da Liberdade…


14| O MELHOR CLIMA DO MUNDO
É conhecida como a capital com mais dias de sol na Europa, mas o clima invejável de Lisboa são também as temperaturas amenas que nunca chegam ao zero no inverno, e as noites refrescadas pelo Atlântico nos meses mais quentes do verão. Os lisboetas só se apercebem da sorte que têm quando viajam para a chuva e frio constante da Europa e América do Norte, para o calor escaldante de África, ou para o clima imprevisível das zonas húmidas e tropicais da América do Sul.


15| AS PRAIAS
Existe outra capital europeia tão próxima da praia? Não existe, e a única outra grande cidade abençoada com areia e mar é Barcelona. Mas a costa de Lisboa é maior, mais diversificada e mais bonita. Com dunas douradas e serras como pano de fundo, pode-se surfar, velejar, e praticar windsurf, ou até mesmo golfe à beira-mar em campos de nível mundial. Lisboa é única por ter rio e mar, oferecendo até a maior extensão de areia na Europa — os 30km da Costa da Caparica.



16| O FADO E O JAZZ
Existem poucas cidades no mundo com a sua própria banda sonora (em Buenos Aires ouve-se Tango, no Rio o samba, em New Orleans o jazz), e Lisboa é um desses locais com o seu próprio estilo musical — o Fado. Mais do que música, o Fado é um estado de espírito, um som que não se dança ou que simplesmente se deixa a tocar no fundo, mas que se pára para sentir. Surpreendentemente, a capital portuguesa é também uma cidade de jazz. É um fato pouco conhecido, mas não para os admiradores, havendo até uma editora local (Clean Feed Records) com projeção internacional. Existem também vários concertos de jazz ao ar livre com artistas internacionais durante o verão.


17| O ESPÍRITO BAIRRISTA
O espírito bairrista não morreu nos bairros antigos de Lisboa. Estes são ainda locais onde todos se cumprimentam de manhã, onde as lojas e tascas familiares ainda sobrevivem, convivendo ao mesmo tempo com boutiques de moda alternativa que se encontram por baixo de estendais em varandas onde se sentam idosas com os seus gatos à conversa com as vizinhas do lado. Estes bairros competem todos os anos pelo prémio de melhor marcha nas “Festas de Lisboa” em Junho, numa demonstração de orgulho bairrista.


18| NEM SEMPRE É O QUE PARECE
Lisboa é uma das cidades mais imprevisíveis do mundo, cheia de surpresas inesperadas: fachadas banais que escondem tesouros (como a Igreja de São Roque), e inúmeros cantos pouco explorados que revelam vistas dignas de postais ilustrados. É uma cidade que desperta curiosidade e que exige contemplação.


19| É UM CONTO ROMÂNTICO
As histórias dos grandes navegadores da época dos Descobrimentos, as influências exóticas do primeiro império global, as batalhas, tragédias e triunfos da que é a segunda capital mais antiga da Europa (depois de Atenas), e os palácios de fantasia da mágica vila de Sintra…


20| O CAFÉ É MELHOR E O CHÁ É ÚNICO
Portugal percebe de café. Afinal de contas, foi o responsável pelas primeiras plantações no Brasil, hoje o maior produtor do mundo. Até ao início do século XX, o café servido em Lisboa chegava quase exclusivamente da antiga colónia, e hoje os portugueses aceitam apenas o de melhor qualidade. Quem é viciado em cafeína não encontrará melhor café do que a “bica” servida em Lisboa, bem forte e escuro. Se prefere chá, pode experimentar o único produzido na Europa, o chá verde Gorreana dos Açores.




21| O PEIXE E O MARISCO
Há quem diga que Portugal tem o melhor peixe do mundo. Com a sua costa Atlântica e longa história no mar, é possível que isso seja verdade. Especialmente porque aqui o peixe realmente sabe a peixe e o marisco sabe mesmo a mar, sem molhos a retirar a frescura ao sabor.


22| FESTIVAIS DURANTE TODO O ANO
A vitalidade cultural que se tem desenvolvido em Lisboa nos últimos anos significa que há um calendário de eventos bem recheado durante todo o ano. Desde grandes festivais de música no verão que atraem os maiores nomes internacionais, aos festivais internacionais de cinema dedicados a todos os géneros (produções independentes, documentários, thrillers, animação …), há sempre alguma coisa a acontecer na cidade.


23| É UM GRANDE GINÁSIO
Lisboa estende-se por várias colinas, mas mesmo assim convida a andar a pé. Muitos becos e escadinhas não permitem a passagem de automóveis, forçando por isso o uso das pernas.
Esta é uma boa notícia para quem não tem tempo para fazer exercício, pois pode queimar calorias a caminho do trabalho, num passeio de compras ou numa ida ao café. Pode também optar por usar as ciclovias junto ao Tejo, o que faz de Lisboa um grande ginásio ao ar livre. A saúde agradece.


24| É ECONÓMICA
Lisboa é frequentemente referida como a cidade mais barata da Europa Ocidental, mas isso não é só para turistas. Até os lisboetas podem desfrutar da sua cidade sem gastar muito dinheiro. Há que saber procurar os muitos locais onde é possível ter uma boa refeição por menos de 10 euros, ir aos museus gratuitos (a maioria é de entrada livre aos domingos até às 14h), e participar nas várias atividades gratuitas que acontecem todas as semanas. Melhor ainda é a noite que é vivida sobretudo na rua com uma imperial ou caipirinha na mão.



25| É SIMPLESMENTE BELA
A luminosidade e as ruelas sedutoras que convidam a passeios, descobrindo segredos ainda escondidos fazem de Lisboa uma das mais belas cidades do mundo. Isso confirma-se nos miradouros que revelam algumas das paisagens mais cénicas de qualquer cidade no mundo.



* Faço “meu” este artigo publicado na Lisbon Lux Magazine. Concordo com tudo, tudinho mesmo e assino embaixo.

* 10 coisas que só é possível fazer em Lisboa, também encontra-se aqui nos Bules.

* As fotos lhe parecem estranhas? Era só para variar um pouquinho e o artigo não ficar parecido com um guia de Lisboa que toda a gente compra nas livrarias.


Um comentário:

  1. Tem de fazer um post sobre café ou pelo menos sobre os modos de beber café que só poderá encontrar em Lisboa (okay...em Portugal).
    Abatanados, americanos, curtos, cheios, garotos, meias de leite de máquina ou saco, galões...café em chávena fria, em chávena escaldada...não tem fim.
    Fica a recomendação. É um mundo!

    ResponderExcluir

Os mais lidos