quarta-feira, 12 de outubro de 2011

15 raridades em Portugal.

Algumas coisas que são muito raras de encontrar em Portugal.

1. Bacalhau sem batatas.
2. Comida sem sal e doce pouco doce.
3. Crianças na rua. Brincando, correndo, gritando e dando risada livremente.
4. Encontrar alguém que não reclame de alguma coisa ou que não diga que isto aqui está mal.
5. Ficar sem luz ou sem água. De todo o tempo que fiquei aqui, a luz só apagou por alguns minutos uma vez e nunca fiquei sem abastecimento de água.
6. Helicópteros comerciais.



7. Jovens que já sabem o que querem ser quando crescer. (Afinal, eles pensam que por serem jovens não precisam se preocupar com o futuro. É melhor esperar ficar velho para pensar nessas chatices).
8. Não conhecer alguém que conheça alguém (amigo ou parente) que mora fora do país.
9. Roubo de carro, assalto a mão armada, sequestro. Nem se ouve histórias sobre esse tipo de violência.
10. Reconhecimento por mérito. Geralmente é ocasionada pela sua rede de contactos.  (não quero desmerecer o facto de que conquistar e manter uma rede de contactos influente não seja algo importante e merecedor de reconhecimento).
11. Sardinha sem cabeça.
12. Sumo natural. Daqueles batidos na hora, com sementinha e tudo.
13. Tanque de lavar roupa. Só vi tanque em um apartamento que tinha lavanderia. As casas só possuem máquina de lavar roupa. Se quiser esfregar bem sua roupinha, é na casa de banho, na pia da cozinha ou mandar para uma lavanderia.
14. Tempestade de raios e trovões. É muito raro, mas em compensação o vento… arrepia de medo até os mais corajosos.
15. Transporte público lotado. Viajar em pé e apertadinho num autocarro, metro ou comboio.
  

 Obs.: listei em ordem alfabéticas coisas que EU raramente vi ou ouvi falar. Pode ser que você conheça de perto algum desses itens. Se conhece, por favor, fique a vontade para comentar e partilhar também suas "raridades".


3 comentários:

  1. E tu estás a falar como os portugueses já!

    Autocarro, ao em vez de ônibus!
    Sumo, em vez de suco!
    Contactos, em vez de contatos!
    Facto, em vez de fato!
    Casa de banho, em vez de banheiro!
    comboio, esta não sei o que é!

    bjos minha querida! Esteja bem na terra de nossos patrícios! rsrsrsrsr

    ResponderExcluir
  2. realmente DÊ , são raridades...
    de sua lista destaco os itens :
    *3
    *4
    *6
    *9
    *15
    vamos aumentar essa lista heheh...pessoas de chinelos é muito raro...;)
    fabio indio.

    ResponderExcluir
  3. Débora, não entendi particularmente o ponto das crianças. Era suposto andarem soltas sem controlo dos pais? Provavelmente ainda 'existem' nas cidades pequenas, e em tempo de férias. (Eu cresci assim, mas as coisas agora são diferentes...não tem isso de sair da escola desacompanhada e até a carga curricular é pesada).
    O reconhecimento por mérito existe, mas dentro dos pares. A escada social é bastante íngreme e as portas apenas se abrem de quando em quando. É duro.
    Portugal sempre teve muita movimentação migratória (veja-se a história náutica) tanto em bons como em maus momentos económicos. A diáspora faz parte.
    Ninguém poderá dizer que isto está bem, não há optimismo que resista. Obviamente haverá sítios onde se está muito pior mas 'com os males dos outros podemos nós bem'.
    Talvez alguns jovens façam bem em não saber mesmo o que 'ser' quando forem grandes: estão a aprender com os outros que sempre souberam e agora dão de caras com uma economia estagnada, um projecto europeu ameaçado por péssimos governantes.
    Mas amanhã é sempre outro dia!
    Bons posts!

    ResponderExcluir

Os mais lidos