sexta-feira, 8 de junho de 2012

As calçadas portuguesas. Tenha muita atenção onde pisa.


Semana passada aconteceu algo inesperado na minha casa. Deixei a porta de entrada do meu apartamento aberta para arejar um bocadinho e eis que dou de cara com um cão enorrrrme no meio da minha sala.
Ele estava abandonado e não sei como, conseguiu entrar no prédio, subir as escadas e encontrou a minha porta bem aberta. Felizmente, era um cão dócil e parecia estar a procura de um lugar fresco para descansar. Deitou-se, bebeu água e depois do meu gato cheirá-lo, resolveu ir embora. Foi embora contente.

Essa história do cão fez-me refletir sobre a relação dos portugueses com seus animais de estimação. Enquanto o cão estava deitado no meio da minha sala e eu estava em busca de uma solução para o meu suposto problema, meu amigo Renato procurou lugares para adoção de animais. Em sua busca, informou-me que estavam todos lotados e não tinham condições de receber mais um cão abandonado e, ainda por cima, velho.

Para além da questão do abandono de animais, algo que me chama atenção é a quantidade de fezes que encontramos nas ruas. A minha calçada e todas as calçadas em torno do meu prédio parecem um campo minado. É preciso ter atenção onde pisamos. Meus vizinhos não tem nem a delicadeza de disfarçar, deixam os cães se aliviarem a seu bel-prazer e não levam sacos para recolher a sujeira de seus cãezinhos. Outro dia, minha vizinha brigou com a empregada de limpeza da freguesia (mais conhecida no Brasil por gari), porque a empregada se queixou da sujeira que o cão estava a deixar na porta das casas alheias.

E não sou só eu que observei essa característica das calçadas portuguesas. No vídeo da Wolters World, um turistas inglês listou as 5 piores e melhores coisas acerca de Lisboa onde os dejetos caninos estava em segundo lugar nas piores coisas de Lisboa. O engraçado é que ele menciona que não se vê muitos cães, o que é verdade, mas encontra-se muitos cocós, o que também é verdade. Vi esse video pelo blogue Pensar Lisboa, que gosto muito.

Considero Lisboa uma cidade limpa, afinal, você encontra lixeiras com cinzeiros em praticamente todas as esquinas, algo que não se vê em outras cidades, como no Porto, por exemplo. O transporte público (metro, comboios e autocarros) são limpos também. Só fica a desejar a educação dos donos dos cães que não tem vergonha de emporcalhar essa cidade tão adorável.



5 comentários:

  1. Que pena!
    Sobretudo pena do cão (e de facto não é habitual verem-se animais soltos em Lisboa) e também pena por ter dado relevância a esta personagem!!!
    Eu já tinha visto isto no youtube e sinceramente não sei quem deu a este tipo legitimidade e propriedade...a lista é um tanto questionável, não é?!
    Não são só os passeios de Lisboa que têm porcaria, a internet também está cheia de m***a!

    (E o que aconteceu ao cão?)

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Débora! Adorei começar a ler os "Bules". Tantas histórias e informação. Tou seguidora :)
    Beijão

    ResponderExcluir
  3. O cão foi embora feliz, mas ninguém nunca mais o viu aqui pela vizinhança. Também me pergunto o que será dele?

    ResponderExcluir
  4. ahah que aventura desse cão.. Bem aqui está a imagem que os turistas ficam de nós.. é sempre engraçado ver!

    ResponderExcluir
  5. em Espanha a hora do jantar é mais tardia do que em Portugal. Os espanhóis queixam-se que em Portugal o jantar é servido muito cedo. por falar em Espanha, nas Ramblas de Barcelona, por exemplo, os turistas também são frequentemente assediados por vendedores de droga. os condutores italianos foram descritos como os piores da Europa e Paris como a capital europeia do excremento de cão.

    ResponderExcluir

Os mais lidos